Connect with us

Notícias

Entidades e sociedade aderem à ‘Campanha do Setembro Amarelo’

Publicado em

Várias entidades da sociedade estão incentivando a Campanha do Setembro Amarelo, a exemplo do SEST SENAT, que trabalha o tema entre seus colaboradores e associados com o mote “Falar não machuca. Se calar sim”.

O assunto é cercado por preconceitos e tabus e pode ser sim prevenido quando há uma correta abordagem das pessoas próximas e com apoio estratégico da saúde pública.

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), o suicídio é uma das principais causas de morte no mundo. No Brasil a cada 41 minutos, alguém tira a própria vida. No mundo esse número chega a 800 mil pessoas por ano.

Esse dilema causa diversos problemas sociais e deve ser combatido com muito diálogo e atenção.

O Setembro Amarelo foi criado no ano de 2015, pelo CVV (Centro de Valorização da Vida), pelo CFM (Conselho Federal de Medicina) e pela ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria) e o objetivo é associar a cor ao mês que marca o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio, 10 de setembro.

No estado da Bahia, as informações mais atualizadas são do ano de 2019 e foram contabilizadas 12.893 pessoas que tiram a vida. A Bahia está entre os dez estados da federação que mais se comete suicídio.

Eunápolis

Já em Eunápolis alguns casos marcaram o município. Recentemente, no dia 5 de agosto, uma mulher de 40 anos interrompeu sua vida por enforcamento no bairro Urbis 1. Ela deixou dois filhos e, segundo informações da imprensa, os familiares não deram maiores detalhes sobre ela.

Outro caso que chocou os eunapolitanos foi do jovem Emerson Alves D´Ajuda, de 19 anos, que se enforcou depois de não se conformar com o fim de seu relacionamento com fulana de tal. O corpo foi encontrado pelos familiares dentro de sua residência no bairro Juca Rosa.

O caso comoveu o bairro e principalmente os amigos, pois Emerson era jovem e pai de uma recém-nascida, e tinha uma boa convivência social. Mas segundo cartas deixadas por ele, a dor pelo fim do relacionamento foi muito grande para o jovem. O caso aconteceu em 17 de maio deste ano.

No bairro Moisés Reis, em 24 de março, um outro jovem de 15 anos tirou sua vida em casa. E dois dias antes, em 22 de março, um idoso se enforcou na sua residência.

Esses dois últimos casos aqui citados não há muitos detalhes, pois as famílias e amigos se sentem constrangidos em dar mais informações.

Os casos de enforcamento são maioria entre jovens de 11 a 19 anos, sendo que 63,2% são homens e 42,8% mulheres. Os dados são do DATASUS, que é o departamento de informática do Sistema Único de Saúde do Brasil.

 

Os impactos

Estudos indicam que cada caso de suicídio impacta pelo menos outras seis pessoas de maneira direta. Portanto conversar e buscar ajuda é muito importante para evitar casos como esses.

Segundo o Centro de Valorização da Vida, se alguém da sua família ou amigos estiver passando por:

  • Uso constante de álcool e drogas;
  • Desesperança, não encontra um sentido na vida ou sem razão para viver;
  • Não consegue solucionar problemas;
  • Isolamento social e não quer contato com amigos;
  • Possui acesso a armas;
  • E está agindo com impulsividade;
  • E dá sinais de depressão.

Busque ajudar para essa pessoa, não se cale fale, estenda mão.

 

CVV- Centro de Valorização da Vida

Clik aqui 

Ou ligue: 188

 

SEST / SENAT

Mês de Prevenção ao Suicídio

Click aqui

Ou ligue: 0800 728 2891

Advertisement
Clique para Comentar

Envie uma Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *